Fabiana Rasta se apresenta na Europa!


Fabiana Rasta se apresenta na Europa!

Fabiana Rasta é cantora de reggae maranhense em constante atividade na cena reggae de São Luís e já conhecida a nível nacional,se apresentando em capitais como Teresina,Belém,Fortaleza e Macapá.
Desta vez, inicia sua carreira internacional em grande estilo ,se apresentando na Itália , no Subiaco Reggae Festival que acontecerá nos dias 17 e 18 de Julho em Roma.
O grave feminino do Maranhão como é conhecida no Brasil ,será a primeira artista de reggae de todo o Nordeste e a segunda do Brasil,a se apresentar em terras italianas.O seu show acontecerá no dia 18, na Free Yard do evento,o qual é um espaço para os artistas mostrarem seu trabalho e pela primeira vez irá se apresentar no estilo sound system acompanhada do grupo Kawa Sound System.

+ Detalhes

Kevin Isaacs, filho de Gregory Isaacs INFORMA:


Kevin Isaacs, filho de Gregory Isaacs INFORMA:
Todos os fãs e promotores do Brasil, eu vou estar fazendo uma turnê no Brasil para este ano em agosto, honrarei meu pai com um tributo especial ao governante legal Gregory Isaacs , no ano passado foi ótimo e este ano será maior ! Então venha por favor para fora em sua tende e milhares e apoie a boa música Reggaueira “Cause all I have is Love”.

fonte: https://instagram.com/p/4URHw1kwLN/

+ Detalhes

Quem é Norris Cole?


Nascido em 24 de fevereiro de 1945 em Westmoreland no oeste da Jamaica.

Norris Cole é Luddy Pioneer e Luddy Pioneer é Sydney Crooks; fundador e membro original do clássico trio vocal Jamaicano The Pioneers.

Para ir um pouco mais longe, Norris Cole é um dos primeiros cantores de reggae da Jamaica, compositor e produtor a pôr o pé no Japão, cantando e produzindo música reggae.

Ele fez isso cinco anos antes de Bob Marly.

Norris Cole é responsável pela elevação (sucesso) de muitos dos melhores artistas da Jamaica.

Artista como Gregory Isaacs, ou seja, “All I have is love”, álbum produzido por ele Norris Cole, que obteve enorme sucesso em todo o mundo.

Para o livro dos recordes de reggae, Norris Cole o mesmo Sydney Crooks, é considerado um dos maiores produtores da Jamaica, contribui muito com o sucesso da musica Jamaicana.

Ele tem uma lista quase infindável, com nomes de artistas que já produziu.

Marcia Griffiths, do álbum “Rock my soul”

Norris Cole,Sydney Crooks, Luddy Pioneer, como queiram chamá-lo, pessoa sempre ocupada na área musical escrevendo ou produzindo muitos artistas como, Gregory Isaacs, Márcia Griffts (do grupo The Wailers), Carlene Davis, Owen Gray, Eric Donaldson, Winston Groove, Johny Orlando, Dennis Brown, Donna Marie, The Pioneers, Jackie Brown, George Dekker, Tyrone Taylor, Brent Dowe, Fredy Mckay, Dennis Alcapone, Delroy Wilson, Justin Hinds, Alton Ellis. Lloyd Parks, Eclips Band, George Faith,e  a lista continua…..

Norris Cole também compartilhou palco com um dos maiores cantor de todos os tempos; seu ídolo John Lennon.

Quase todos os artistas que passaram pelo o Estúdio de Gravação do saudoso Joe Gibbs, passaram pelas mãos de Norris Cole. Artistas como, culture, Horace Andy, Augustus Pablo, Stanley Beckford, The Versatiles, Junior Biles e muitos outros.

Alguns dos maiores engenheiros da Jamaica, como David Rowe, Rogan Richards, Carlos Gray, Carl Toppin, trabalhou sob a supervisão de Norris Cole.

Norris Cole, junto com os outros dois Pioneiros, trabalharam em conjunto, em um grande projeto com o grupo UB40, e doaram os royalties da canção escrita por Norris Cole, George Dekker e Jackie Robinson, para alimentar as crianças famintas da África.

Norris Cole foi adotado pelo o Maranhão (Brasil) como sua segunda casa. Há bastante tempo que ele fica entre a Jamaica e o Maranhão. Ele é casado com a Maranhense Lady Conceição e juntos tem um filho de 12 anos,o Norris Cole Jr. Ele também tem inaugurado seu estúdio em São Luís Maranhão, o “Pioneer Internacional Recording Studio” e sua esperança é ajudar erguer muitos cantores da musica reggae do Brasil e daqui da ilha, como por exemplo,sua esposa Lady Conceição  também cantora e seu filho Norris Cole Jr, que  juntou -se com o cantor lendário do grupo The Congos, Cedric Myton , para fazer seu primeiro vídeo clipe intitulado “guerra na Babilônia”, que agora é visto em todo o mundo.

Norris Cole possui uma grande base de fãs, sobretudo no norte brasileiro e interior do Maranhão.

Norris Cole lançou recentemente um grande álbum. “Peace Justice Liberty” (Paz, justiça, Liberdade) este álbum resgata as raízes do grupo e do próprio artista como cantor solo em instrumentais fantásticos e vocais muito bem colocados por Norris e pelo Pioneers.

Alguns dos melhores e mais importantes músicos jamaicanos de toda a história participaram da gravação, desse álbum. Dentre eles o mago do sax Dean Fraser.

Com catorze faixas de puro reggae raiz e letras que vão do lovers rock às tradicionais críticas sociais que o reggae faz, o álbum foi considerado um dos melhores lançamentos dos últimos anos no gênero. Para o artista que grava desde 1965 este é o décimo terceiro disco da carreira solo com o nome Norris Cole, e sem dúvida um dos melhores da carreira.

Norris Cole é muito ativo no Brasil, trabalhando por trás nos bastidores, com sua esposa á frente interagindo.

Como a maioria dos melhores artistas da Jamaica, ele está pronto para comemorar seu aniversario de 50º anos de carreira e historia, dia 10 de Maio domingo na Choperia Marcelo ao lado do Jamaicano Tinga Steawart e vários convidados especiais do movimento reggae( Giga Estrela do Som,FM Nattynafson,Banda Raiz Tribal Equipe de vinil Disc Memory e mais surpresas. Produzindo e escrevendo musicas até hoje. Ele como um menino de um país pequeno saiu para viver ao lado de príncipe e princesa. Norris Cole foi um dos primeiro negro jamaicano á morar na mesma área que a princesa Diana, na década de setenta, chegou até ser seguido regularmente para sua casa pela policia Inglesa, em Kensington em Londres; porque quando ele se dirigia para sua casa à noite a polícia o seguia pensando que ele era um ladrão entrando em sua própria casa em Kelso Place in Kensington, como sua casa era atrás da casa do namorado da princesa Diana (Place) Norris Cole se diz não ter nada para provar a ninguém. Ele ainda tem muito talento deixado nele.

Norris Cole é apelidado por muitas pessoas amigas dele, porque em qualquer país que decida residir, ele cria uma indústria de reggae em torno dele. Como por exemplo, Toronto no Canadá, quando ele foi lá para morar, não havia quase nenhuma música reggae ao redor, e em poucos meses ele começou a carreira de muitos artistas como, Carlene Davis, Johnny Osborne, Nana Mclean, Leroy Brown, e muitos outros.

Em seguida, na Inglaterra não foi diferente, ele ajudou a crescer o movimento reggae e ajudou no crescimento das carreiras artísticas, expandindo o reggae com; Owen Gray, Junior Inglês, DD Dennis, Tito Simon, Johnny Orlando, The Pioneers, Christine Jah white, Jean adebambo, The Mexicano, Country Man, e muitos outros.

Na Jamaica, ele fez o mesmo, mais muito melhor. Artistas que produziu e gostou; Dennis Brown, Frankie Pauk, Jackie Radics, Marcia Griffths, Pan Hall, Justin Hinds, Brent Dowe, Donna Marie, The Slickers, Tony Tuff, George Fath, Freddy Mcky, The Maytones, Altony Ellis, Barbara Jones, Kevin Isaacs, Tyrone Taylor, e a lista continua…

Norris Cole, Bob Marley, Jimmy Cliff, Desmond Dekker e os Acess, todos eles estavam juntos ao mesmo tempo no Studio de gravação Beverlys Records na Jamaica. Todos muito amigos.

Em uma questão de fato, Bob Marley e Norris Cole, chegaram a ter um confronto sério, entre os dois, quando Norris Cole cobriu uma de suas canções. A canção de nome “Wait in vain”, canção cantada por Danny Ray, produzida por Sidney Crooks, o mesmo Norris Cole. Bob Marley ficou furioso porque a Melody Maker um dos diários de notícias mais popular da Inglaterra escreveu que sua versão era melhor do que a versão de Bob Marley.

Norris Cole é um produtor completo, cantor e compositor.

+ Detalhes

Obama visita Museu Bob Marley na Jamaica


“Tenho todos os discos”, diz Obama no museu de Bob Marley

O presidente americano Barack Obama está em visita à Jamaica e, em menos de duas horas após aterrissar no país, no Aeroporto Manley, em Kingston, foi visitar o Museu Bob Marley, de quem é fã declarado. As informações são do Mashable.

Obama foi recebido no aeroporto por ministros e seguiu para a casa de estilo vitoriano, na qual Bob Marley viveu até sua morte, em 1981. “Eu ainda tenho todos os álbuns”, disse o presidente americano durante o tour no museu, que durou por cerca de 20 minutos.

O Museu Bob Marley preserva os cômodos e a disposição dos móveis assim como era quando o cantor jamaicano viveu por lá, inclusive o estúdio de gravação, com os discos de Ouro e Platina recebidos, um holograma em tamanho natural de seu “One Love Peace Concert” e seu Grammy Lifetime Achievement Award, de 1978, entre outros artigos de coleção.

Uma estátua de Marley tocando um violão fica na frente do museu colorido, pintado de vermelho, verde e amarelo.  Depois de sua visita, Obama saiu pela porta da frente com a guia de turismo, Natasha Clark, com o som de “One Love”  sendo tocado em alto-falantes do edifício.

Fonte: terra

+ Detalhes

Release Banda Capital Roots


Começaram a se apresentar no centro histórico da cidade (Projeto Reviver) em 2002, quando ainda era conhecida como Djembê. De lá para cá a banda veio amadurecendo seu trabalho  chegando a se tornar uma das maiores e mais influentes banda do estado, adquirindo o título de “Banda da Massa Regueira”.

 

A Capital Roots tem se destacado no cenário estadual e nacional, sempre com agenda nas festas de vários municípios maranhenses, além de outros estados . Sua  proposta musical é fazer um reggae genuinamente roots, onde a bateria e o baixo se encaixam perfeitamente formando o tão importante “drum and bass” do reggae, juntamente com um belo trio de metal com trombone, sax e trompete aliados à base seca da guitarra, suas harmonias groovadas e a percussão.

 

Pela qualidade do seu reggae e reconhecimento do seu trabalho, a banda sempre participa dos grandes eventos anuais da Ilha como: Cidade do Reggae e Sunsplash. Sendo ainda a banda base, há mais de dez anos, para diversos cantores jamaicanos como Larry Marshal,Eric Donaldson,John Holt,Max Romeo,Horace Andy,Kenyata Hill,Cedric Myton,Sly Foxx,Lloyd Parks,Ijahman levi,Donna Marie, Ray Mondo,Derrick Morgan, The Pionneers,The Maytones, Léo Graham,Pat Kelly, Eek a Mouse. Wiston groove,Barbara Jones, Ras sporrow Além de ter sido a única banda a participar dos três dias do “Maranhão Roots Reggae 2012”.

 

  • A Capital Roots, que já está trabalhando na edição do seu cd

  • Chamado (vibration)

é composta por Thom Batera (bateria), Adiel Telles (contra-baixo), Kidy Teclas (Teclado), Filipe Lisboa (guitarra), Amorim ( trombone), anderson cleiton (trompete), Gabriel jah-b (voz) e donna bill (voz).

Mais informações: 88625580 – AMORIM

+ Detalhes

Banda de reggae feminina do Cariri conquista internautas


Elas vieram para fazer um som diferente e com mensagens positivas. O reggae é o sinal de bons tempos para o grupo Nazirê. A banda com pouco mais de dois anos, estava um pouco desencontrada, mas, depois de um vídeo de uma das músicas, postado na Internet, veio o incentivo que o grupo estava precisando para reanimar as meninas. Com a música “Acorda pra vida”, de autoria de Jordânia Martins, o Nazirê ganhou mais visibilidade e o ritmo regueiro já chegou a receber convites até de outros países para a possível gravação das músicas. Mas, ainda neste mês, o grupo grava a música em estúdio, na Capital cearense. A banda conquistou, em pouco mais de dois meses, são 9.226.183 visualizações na rede social Facebook.

Tudo começou pelo prazer de cantar e a admiração em comum pelo ritmo que teve a inspiração maior em Bob Marley. Já se contam inúmeros grupos, pelo mundo inteiro, da música que se tornou um grito que sai dos guetos, buscando o canto da liberdade. E as meninas decidiram investir num segmento da música em que não é comum ter mulheres na liderança musical.

A vozes ressoam delicadamente no ritmo sincronizado. No vídeo, com a bandeira do rei dos regueiros ao fundo, a música chega aos ouvidos como um despertar. A filmagem foi elaborada sem uma produção voltada para o resultado que tem obtido. Pelo menos não havia essa pretensão. Para as meninas Jordânia, Géssica Alencar e Ranny Ramos esse momento trouxe uma nova visibilidade que foi uma grande surpresa. Não esperavam que os shows aumentassem. No próximo dia 14 de março farão dois shows em uma só noite. No Sesc de Juazeiro do Norte e, em seguida, abrindo o show do cantor Edson Gomes, um dos ícones do reggae no Brasil e inspiração das meninas regueiras do Cariri. As bandas Mato Seco e Alpha Blondy também fazem parte das preferências musicais em se tratando do ritmo.

Mesmo com um projeto musical anterior, músicos caririenses decidiram iniciar o Nazirê. Eram seis componentes. Com o sucesso do vídeo, postado no dia 7 de janeiro, nas redes sociais, mais duas pessoas passaram a compor o grupo. A percussão ganhou força. “A gente sempre teve um sonho e, de repente, três dias depois da postagem, conseguimos seis milhões de visualizações”, afirma Jordânia.

Em uma semana e meia foram nove milhões acessos ao vídeo e a página no facebook cresceu de mil pessoas em dois anos de banda para mais de 85 mil pessoas. Todos os componentes do grupo já eram fãs do reggae, bastante disseminado por bandas no Cariri. Mesmo por ser divulgado e ter muitos fãs, segundo Jordânia, na região também há outros grupos específicos e também muito divididos entre as preferências musicais.

A cantora e instrumentista Ranny Ramos diz que, mesmo navegando por outras vertentes musicais, decidiu investir no reggae com o Nazirê. Para isso, houve uma concentração por essa inspiração, mas buscando novos elementos que caracterizem o aspectos personalístico da banda. Elas declaram que, com todo esse trabalho e a resistência dos grupos, há bandas que estão se sobressaindo na região do Cariri, como a Liberdade e Raiz, que se encontra em processo de gravação de CD; e Missão do Miranda, entre outras.

Jordânia lembra do momento difícil que a banda vinha passando. Os ensaios foram reduzidos. Após compor a música, na virada do ano, elas decidiram se encontrar na casa de Géssica, em Juazeiro do Norte, para gravar com a câmera do celular o vídeo “viralizado” na rede. Decidiram postar no Youtube. “A gente nunca imaginou que fosse ter esse sucesso, porque a música “Colar de joias raras” é muito mais trabalhada e com uma produção maior e não teve o mesmo sucesso”, afirma.

A ideia era ver os amigos apenas dando força para a nova música. A canção ainda não está sendo executada em rádios da região e agora as integrantes aguardam a gravação, tendo à frente o produtor e empresário Hélio Santos. A ansiedade do grupo é grande para estar em estúdio realizando um sonho da carreira. “Estamos muito confiantes e, como não temos experiência, é muito boa essa proposta de gravar essa música”, explica Jordânia.

As referência femininas no mundo do reggae são poucas ainda. No geral, a maioria é homem. As mulheres estão mais presentes no back vocal, conforme explica Jordânia, talvez até para dar uma suavizada nas vozes masculinas. O vídeo obteve uma repercussão internacional. E os contatos passaram a vir de países latino-americanos e também da Europa.

Não apenas do Ceará começaram a surgir propostas para o grupo. Houve, na verdade, uma divulgação em outros países do Nazirê. Conforme Jordânia, elas tiveram contato com um produtor da Itália, que deseja fazer um teste com a banda. E os elogios vieram de suecos, chilenos, venezuelanos, mexicanos e norte-americanos. “As pessoas diziam que, mesmo sem entender o idioma, gostaram muito”, conta Ranny. Mesmo com a mudança de perspectiva do momento, para o grupo o importante é não deixar a chance passar.

Fique por dentro

Mistura de estilos e letras engajadas

O Reggae é um gênero musical que tem suas origens na Jamaica. O auge do reggae ocorreu na década de 1970, quando este gênero espalhou-se pelo mundo. É uma mistura de vários estilos e gêneros musicais: música folclórica da Jamaica, ritmos africanos, ska e calipso. Apresenta um ritmo dançante e suave, porém com uma batida bem característica. A guitarra, o contrabaixo e a bateria são os instrumentos musicais mais utilizados. As letras das músicas de reggae falam de questões sociais, principalmente dos jamaicanos, além de destacar assuntos religiosos e problemas típicos de países pobres. O reggae recebeu, em suas origens, uma forte influência do movimento rastafari, que defende a ideia de que os afrodescendentes devem ascender e superar sua situação por meio do engajamento político e espiritual. No Brasil, o ritmo chegou com mais força no Norte e Nordeste. O Estado do Maranhão se destaca com a forte presença de músicas do gênero.

Mais informações:
Nazirê
www.nazire.com.br
(88) 9713.9432 / 8872.9755
Falar com Érika Cristina
[email protected]

Fonte: Diario Do Nordeste

+ Detalhes

GDAM confirma Eric Donaldson no carnaval!


Apesar de vários artistas de reggae ficarem de fora da rota de São Luís no ano passado, confesso que estou bastante otimista para 2015. Logo no início de janeiro (dia 10), recebemos o boliviano Ras Sparrow, autor do sucesso “Zion Town” (lançada no Reggae Point), onde se apresentou no Luau da Toca do Trovao (Araçagi).

Carnaval se aproxima e para a folia de momo o Grupo de Dança Afro Malungos, o GDAM, com o seu tradicional bloco de reggae, anunciou que trará novamente o jamaicano Eric Donaldson, muito querido pelos maranhenses.

Na diversidade de ritmos e cores, o reggae fará parte da programação da folia que toma as ruas de São Luís, com concentração do bloco no Centru´s Bar (a partir das 17h), no Centro. O bloco sairá três dias no período carnavalesco, dias 15, 16 e 17. Informações sobre venda de Abadá, clique aqui. Além de Eric, Cedric Myton, I Jahman e Horace Andy devem passar ainda este ano por São Luís. O que nos resta é sermos otimistas.

Fonte: blogsoestado

+ Detalhes

MARLEY 70 ANOS


06 de Fevereiro é dia de festa na Jamaica, a terra natal do reggae music comemora o nascimento do ídolo maior, o mito, a maior expressão da música expoente de um país, Robert Nesta Marley.

Bob Marley é considerado o primeiro e maior astro musical do terceiro mundo, já vendeu mais de 80 milhões de discos espalhados pelo mundo, e sua imagem figura entre uma das mais valorizadas do planeta. Seguindo as comemorações pelos seus 70 anos celebrados em seis de Fevereiro, o Projeto Sexta do Vinil do Porto da Gabi realiza nesta data (06 de fevereiro) a festa “BOB MARLEY 70 ANOS”, uma justa homenagem em forma de música com um dos mais considerados artistas maranhense do reggae, Gerson da Conceição (Manto Bantu) & Banda, com um repertório especial baseados nos grandes clássicos do Rei Bob Marley.

Além do show de Gerson da Conceição (Mano Bantu) & banda, a festa BOB MARLEY 70 ANOS terá participações especiais dos Dj’s James Brown, Túlio Jamaica, Dudu da Caçulinha do som, e a discotecagem da equipe Radiola Reggae & Rádio Zion com os Dj’s Marcos Vinícius & Joaquim Zion. Na oportunidade os primeiros mil presentes ganharão um adesivo comemorativo da festa “BOB MARLEY 70 ANOS” no Projeto Sexta do Vinil.

 

O quê:

BOB MARLEY 70 ANOS

Quando: dia 06 (Sexta Feira)

Onde: Porto da Gabi, Projeto Sexta do Vinil

Local: Aterro do Bacanga

Horário: 22hr

Atrações: Dj’s James Brown, Tulio Jamaica, Dudu da Caçulinha do som, equipe Radiola Reggae & Rádio Zion com os dj’s Joaquim Zion & Marcos Vinícius, Show “Bob Marley 70 anos” com Gerson da Conceição (Mano Banto) & Banda.

 

Contatos:

098-8849 9016/ 98311 6013 (Joaquim Zion); 98812 1098/ 98189 7442 (Marcos Vinícius)

Email: [email protected]/[email protected]

https://www.youtube.com/watch?v=dFYMlwfu_is

 

 

 

 

 

+ Detalhes

Disco inédito de Bob Marley será lançado em fevereiro


Em homenagem aos 70 anos que Bob Marley completaria em 2015, a família do músico deu acesso ao extenso acervo privado de músicas inéditas do artista, permitindo a promoção de relançamentos, vídeos e discos ao vivo e uma série de lançamentos comemorativos ao seu legado.
O primeiro item que será lançado é o CD/DVD ao vivoEasy Skanking in Boston ’78, com Marley e sua banda Wailers. As imagens da apresentação foram gravadas por um fã, que foi autorizado pelo próprio músico a ficar na frente e no centro da plateia.
A previsão para seu lançamento está marcada para o dia 10 de fevereiro. Entre as faixas tocadas no show, realizado durante uma turnê em 1978, estão No Woman, No Cry, I Shot the Sheriff e Get Up, Stand Up.
Fonte: A tribuna

+ Detalhes

SEXTA DO VINIL NO PORTO DA GABI COMPLETA TRÊS ANOS


O projeto “sexta do vinil” completa três anos e o público maranhense, amantes e admiradores do bom reggae roots vai comemorar nesta sexta feira, dia 7, no Porto da Gabi no Aterro do bacanga. São mais de cento e cinqueta sextas feiras repleto de muito roots reggae diretamente do vinil, uma verdadeira resistência desse estilo que traduz a origem da música jamaicana propagada na ilha de São Luis desde os seus primórdios, através de colecionadores e personagens que daqui viajavam até a terra mãe do reggae, para garimpar as preciosidades que encantam toda uma nação do reggae ludovicense.

Disco de vinil seja ele raro, ou lançamento, faz parte desse caldeirão de emoções desencadeado todas as sextas feiras com a magia dos dj’s que compõe o projeto SEXTA DO VINIL, James Brown, Túlio Jamaica, Dudu da Caçulinha e os Dj’ Joaquim Zion & Marcos Vinícius condutores dessa onda que invadiu a ilha repleta de vinil pra todo lado, a cada bar pela cidade é bem fácil você encontrar algum Dj executando suas sequências, atráves de vinil, seja LP ou compacto rotação 45.

Para comemorar os três anos do projeto Sexta do Vinil, a festa contará com as participações dos principais Dj’s da cena reggae roots da cidade, como Neto Miller, Jorge Black e diretamente de Fortaleza um dos maiores colecionadores de vinil do Brasil, “DJ Canuto Lion”, dono do principal site de vendas on line de discos de vinil e acessórios, o www.blackloja.com.

Na grande festividade de comemoração dos três anos da Sexta do Vinil, o público maranhense em especial os adeptos ao vinil, terão a oportunidade de comprar vinil de vários estilos musicais além do reggae na “1ª Feira do Vinil”, que será instalada no Porto da Gabi, paralelamente a festa dos Dj’s, portanto, você além de curtir um bom reggae roots, poderá dá os seus primeiros passos para sua coleção de vinil.

Para os primeiros mil pagantes na entrada ao projeto Sexta do Vinil no Porto da Gabi, será entregue o Cd com as trinta mais executadas ao longo dos três da edição do projeto sexta do vinil, reunindo os maiores sucessos aclamado pelo público, uma seleção cuidadosamente preparada para os regueiros mais exigentes, é comparecer para crê. Portanto, como bem dizia um dos maiores dj’s da cena reggae do Maranhão, “…só não vai quem já morreu…” (Antonio José “in Memorian” da Estrela do Som) porque Sexta é no Porto da Gabi com a SEXTA DO VINIL…Imperdível!

Marcos Vinícius

+ Detalhes

Morre aos 69 anos John Holt, uma figura de destaque no reggae e rocksteady


Veterano estrela do reggae e aos amantes do rock pioneiro John Holt morreu em um hospital de Londres, 69 anos.

A notícia da morte do cantor jamaicano veio no dia 19 de outubro de Copeland Forbes, o empresário de Holt, desde 2006, confirmou sua morte à Jamaica Observer Online. “John morreu em 2:40 hora Inglês. Seu sobrinho [John] informou-nos de sua morte. “A causa da morte de Holt ainda não foi confirmada.

Nascido em Kingston, Holt ganhou fama como um membro de The Paragons na década de 1960, um grupo no qual ele escreveu “The Tide Is High”, que viu notoriedade mundial na década de 1980 com cobertura do Blondie. Durante seu tempo no grupo rocksteady, ele também escreveu sucessos como: Tonight, Ali Baba, I See Your Face, and Wear You to the Ball.

Em 1970, Holt deixou os Paragons para se concentrar em sua carreira solo, e logo se tornou um dos maiores nomes do reggae, com sua música Stick By Me, gravado com o produtor Bunny Lee, listado como o mais vendido, recorde jamaicano de 1972.

Uma figura crucial na cultura jamaicana, o som de Holt era conhecido por suas qualidades de estilo balada suave. Esta manhã, a indústria da música tem pago os seus aspectos, com registros de Tróia saudando-o como um “grande talento e um verdadeiro cavalheiro”.

Seu último álbum solo foi Peacemaker, lançado em 1993.

Fonte: The Guardian

+ Detalhes

O verdadeiro significado das cores do Reggae


VERDEAMARELO E VERMELHO, acho que todo mundo ou quase todo mundo já deve ter visto essas cores juntas, talvez em alguma roupa ou simplesmente em uma pulseira, muita gente fala que são as “cores do reggae” e confirmamos que realmente é, porém existe outro grande significado que não se resume em apenas ser as “cores do reggae” mais também ser as cores da bandeira nacional da Etiópia e as principais cores para os seguidores do movimento rastafári ambos com o mesmo significado

Confira os significados das cores abaixo:

VERDE = terra e esperança
AMARELO = a igreja e a paz
VERMELHO = poder e fé

As cores representativas tem valores tanto materiais (físicos) quanto metafísicos (ou espirituais). O físico, no verde, se relaciona à Terra-Mãe, natureza, fauna, flora tão exuberantes, na África, assim como no Brasil, fonte de vida e prosperidade, terra provedora de abrigo e alimento. O aspecto metafísico do verde é a esperança porque esta cor está ligada, nas tradições esotéricas mais antigas, aos fenômenos de renovação. No Taro, oráculo de cartas de origem hindu-egípcia, a carta XX, tem o verde como cor destacada. O arcano (a carta) chamado O Julgamento, mostra três figuras que se erguem de um túmulo diante de um anjo apocalíptico, uma cena de ressurreição.

Nos tons do amarelo e do vermelho se concentram outros significados subjetivos. A Paz, condição necessária a uma existência saudável; a Igreja, como força social de união entre os povos; o poder, como capacidade de realização de metas, de transformar sonhos em realidades e, finalmente, a Fé, sem a qual estas capacidades não podem ser alcançadas. É pela fé que se mantém a persistência rumo a um objetivo não obstante os numerosos obstáculos que se interponham entre uma pessoa e suas aspirações mais elevadas.

Fonte: reggaedovale

+ Detalhes

Dia Nacional do Reggae


Você sabia?

– É comemorado em 11 de maio o Dia Nacional do Reggae. Esta data foi escolhida, pois foi num dia 11 de maio que faleceu Bob Marley, o principal representante da história do Reggae. A lei que instituiu esta data foi sansionada pela presidente do Brasil Dilma Rousseff em 14 de maio de 2012.

+ Detalhes

Bunny Wailer o último membro original do The Wailers vivo pela primeira vez no Brasil!


Que tal ter o prazer de presenciar um show do Bunny Wailer, parceiro de Bob Marley e Peter Tosh, e o último ‘original Wailler’ vivo?

Declaradamente adepto do Movimento Rasta, o cara tem o reggae na veia e se diz uma pessoa bem religiosa (aquela religião da plantinha mágica). Percussionista nato, Bunny foi um dos mentores do reggae na Jamaica no final dos anos 60 e vem pela primeira vez ao Brasil.

O Movimento Rastafári ou Rastafar-I (rastafarai) é um movimento religioso que proclama Hailê Selassiê I, imperador da Etiópia, como a representação terrena de Jah (Jave). Este termo advém de uma forma contraída de Jave encontrada no salmo 68:4 na versão da Bíblia do Rei Tiago. O termo rastafári tem sua origem em Ras (“príncipe” ou “cabeça”) Tafari (“da paz”) Makonnen, o nome de Hailê Selassiê antes de sua coroação 

A história do cara não para por aí não, ele é ganhador de 3 Grammy’s como“Melhor Álbum de Reggae” 1990, 1994 e 1996.

Então, “prepare o capacete que lá vem pedrada!” Para conferir essa preciosidade da ‘reggae music’ agende-se para a noite de 12 novembro, em Porto Alegre.

Mais informações no site do Bar Opinião.

Font: http://wp.clicrbs.com.br/

+ Detalhes

O adeus a um dos mais lendários percussionistas da Jamaica!


Faleceu aos 78 anos dia 25 de agosto, o lendário percussionista jamaicano Uzziah ’Sticky’ Thompson, vítima de um ataque cardíaco fulminante. Sticky foi um dos mais emblemáticos percussionistas da história da música jamaicana e começou sua carreira em meados dos anos 60 ainda no SKA.

Nos últimos anos ele trabalhou bastante com Ziggy Marley, mas já gravou com uma infinidade de artistas como Gregory Isaacs, Culture, Horace Andy, The Mighty Diamonds e muitos outros.

Fonte: Rafael Surforeggae

+ Detalhes

Banda de reggae de Petrolina disponibiliza músicas pela internet


Álbum ‘Galhos Concatenados’ do Tio Zé Bá pode ser conferido na íntegra.
Músicas do disco podem ser ouvidas e baixadas até o fim de setembro.

A banda ‘Tio Zé Bá’ de Petrolina, no Sertão pernambucano, está disponibilizando gratuitamente o álbum ‘Galhos Concatenados’. As 17 faixas do disco podem ser ouvidas e baixadas pela internet até o fim do mês de setembro. Após esse período as músicas podem ser adquiridas através de download pago ou em um disco físico programado para ser lançado até novembro deste ano.

O projeto Tio Zé Bá dialoga com vários estilos
musicais (Foto: Leonardo Carvalho / Divulgação)

Segundo o vocalista Maércio José dos Santos, o álbum vem sendo produzido desde 2009 com recursos próprios. “A ideia é ceder o disco para o pessoal que acompanha nosso trabalho desde o início. Como o público conhece as músicas, já que elas são tocadas nos shows, nós decidimos divulgar na internet”, afirmou.

O Tio Zé Bá foi criado em 2006, a partir de um projeto paralelo de Maércio quando integrava outro grupo da cidade, o Apocalypse Reggae. Em parceria com o Apocalypse, o projeto Tio Zé Bá lançou o primeiro disco, ‘Além do Mar’, em 2007. O álbum ‘Galhos Concatenados’ é o primeiro trabalho solo do projeto.

“Grande parte do que a gente produziu, desde a época do Apocalypse Reggae, foi disponibilizada na internet e a gente passou a ser mais conhecido com isso. Acho interessante essa divulgação, até para que as pessoas tenham acesso à mensagem das músicas. Só que o nosso trabalho é independente, não temos patrocínio e precisamos tirar os gastos em algum momento”, explicou.

O Tio Zé Ba tem cinco integrantes na sua formação de base, mas o grupo com frequência faz parcerias com outros músicos. As canções do projeto visam valorizar a cultura local. “A gente tenta falar de coisas que dizem respeito à nossa região. Nós trabalhamos o reggae, que é o ritmo principal, mas com a cara do Sertão, com uma cara ribeirinha. Tem uma música, por exemplo, com a batida do ‘Samba de Veio’, da Ilha do Massangano. Além disso, misturamos o reggae com outros estilos, como em músicas que têm uma pegada de afoxé, uma com arranjos de blues e até uma canção com participação de um DJ londrino”, contou Maércio.

 

Fonte: g1 Petrolina

+ Detalhes

Respeitado Jornal da Jamaica cita Gilberto Gil como Bob Marley brasileiro! Confira!


O Brasil e a Jamaica sempre tiveram muitas afinidades não só entre o seu povo, mas também com a música e os esportes. Recentemente, Gilberto Gil foi destaque no respeitado jornal jamaicano ‘Jamaica Observer’ e ganhou uma reportagem que exalta a sua carreira e o chama de ‘O Bob Marley Brasileiro’.

O jornal faz a comparação não só pela sua popularidade e versatilidade musical, mas também por representar uma das vozes dos oprimidos. Gil já trabalhou com jamaicanos por diversas vezes, desde a gravação de “Vamos Fugir” com os The Wailers (banda que acompanhou Bob Marley) até o Kaya N’Gan Daya, tributo que gravou em 2001 na Ilha do Reggae.

Fonte:http://www.surforeggae.com.br

+ Detalhes

Banda Raiz Tribal e o mais novo material: Novas Trilhas


Banda Raiz Tribal e o mais novo material: Novas Trilhas
“RAIZ TRIBAL tem como herança a paixão pelo reggae vinda de uma das principais bandas de reggae do país, a maranhense Tribo de Jah. Gill Enes e Keké Enes são filhos de Netto Enes (guitarrista e vocalista da Tribo de Jah) e Leo Rabelo, filho de Aquiles Rabelo (baixista e vocalista da Tribo de Jah) pra fechar esse power trio!
De pai para filho e depois para os palcos a fora, assim é a trajetória de 13 anos da banda, que começou em Guarulhos/São Paulo e que faz o caminho de volta para não perder os laços com a raiz musical maranhense.
Mesmo com o DNA da Tribo de Jah a Raiz Tribal nesses 13 anos de carreira conquistou a própria identidade, tocou ao lado de bandas nacionais e internacionais consagradas e ganhou reconhecimento e admiração de quem toca reggae no país.
Discografia:
– Sintonia 2005
– ReggaeRaggaRootsSkaDub 2007
– Novas Trilhas 2014*

Sendo o nome do 3º disco no qual o repertório foi escolhido a dedo para compor junto a participações especiais uma homenagem aos mais de 400 anos de São Luís. NOVAS TRILHAS conta com grandes nomes da música brasileira assim como ZECA BALEIRO na faixa ‘A Ilha’ (música em homenagem a São Luís), FAUZI BEYDOUN (Tribo de Jah) na faixa ‘Quando o São João Chegar’ (releitura da música de autoria do mesmo que se refere a cultura regional e ao estado do Maranhão) e a participação do Pr. NENGO VIEIRA (O Reggaeman gospel do Brasil) na música ‘Terra Prometida'”.
fonte:
http://www.palcomp3.com/raiztribal/
http://www.facebook.com/pages/Raiz-Tribal/144076272318465″

+ Detalhes

BUSY SIGNAL – GYAL YUH GOOD OFFICIAL VIDEO


Após a apresentação do tríptico de músicas dedicadas aos anos 80, o sempre prolífico Busy Signal traz o novo vídeo oficial. E como muitas vezes acontece, ele vai em uma uma gota completamente natural de baladas suaves para selvagem “canção vinho”, assim como o proposto no clipe, produzido mais uma vez por seu Turf Music.
E, como o título da música, é razoável esperar que as próprias “gyal” os protagonistas absolutos do vídeo. E ‘nos dias de hoje a notícia de que o sinjay também retornam este ano no palco Sumfest, depois de uma ausência de cinco anos de um dos maiores eventos musicais na Jamaica.
Busy também deixar voluntariamente se engajar em “guerra letras” entre Mavado e Bounty Killer, naturalmente tapume do lado do general, que o apresentou a anos atrás, devido à militância na Aliança. E canções como “Tek Capa” e “Business” está direcionando seu ex-amigo Gully Gad.
https://www.youtube.com/watch?v=pxkSDt-NnbM
fonte:http://www.reggae.it/busy-signal-gyal-yuh-good-official-video/

+ Detalhes

Novo Álbum “Manifesto do Pensar”


MANIFESTO DO PENSAR

O Pedecoco lançou seu novo trabalho em meio ao processo de refinamento que só o profissionalismo e a dedicação podem trazer. Mais do que composições autorais e autobiográficas, o novo CD traz o amadurecimento musical e pessoal dos integrantes, reproduzido incansavelmente durante o processo de criação e se estendendo à gravação, mixagem e aprovação final. A banda, que teve projeto aprovado junto à Funjope, levou cerca de um ano para produzir e gravar o álbum, que contém oito faixas inéditas e traz participações importantes na cena local, como Naiá Lombardi e Atômico MC. Depois de gravado, o CD foi enviado para ser mixado e masterizado na Lion and Fox, estúdio responsável pela mixagem de nomes como Groundation, SOJA e Don Carlos. O resultado deste processo são músicas feitas à mão, com a atenção de artesãos e o feeling de profissionais. Baixe no site http://www.pedecoco.com
Fonte: Pedecoco

+ Detalhes

Agenda


12

Dezembro

Aniversário da Radiola Fm Natty Nayfson.

mais info >>

19

Dezembro

Le Cirque Roots/Evento Solidário.

mais info >>

Garota


NATHASHA

Publicidade

Fenix SEgurança

Personalidade


LUIS MECÂNICO

© Reggae Total 2020 | Todos os direitos reservados